Quando se pensa em pessoas com mais de 60 anos navegando na internet, talvez venha à mente de muitos a figura de uma avó procurando receitas de bolo, ou talvez a imagem de um avô procurando o resultado da loteria. Bem, esse estereótipo não está por completo errado, mas já está ficando ultrapassado.

A expectativa de vida aumentou consideravelmente com o desenvolvimento da indústria farmacêutica, com as melhores condições de vida e – claro – com a evolução da medicina. O resultado? Uma “nova” geração, com muito tempo livre (já que conquistaram a aposentadoria) e com dinheiro para gastar como bem entenderem.

Ciente dessa tendência, muitos ramos já aproveitaram essa nova oportunidade. É o caso, por exemplo, de companhias de turismo que oferecem programas especiais para terceira idade, redes farmacêuticas que criaram programas de fidelidade para pessoas com mais de 60 anos e até mesmo revistas e publicações criadas com conteúdo específico para agradar apenas os senhores e senhoras com cabelos brancos.

No entanto, ainda há grande resistência por parte do E-commerce em aceitar essa novidade. Segundo pesquisas, pessoas com mais de 60 anos representam 7% dos internautas brasileiros. E a tendência é que esse número só aumente. Por isso, não espere todos descobrirem esse nicho para então começar a atuar nele. Prepare hoje seu E-commerce para a terceira idade. Mas como fazer isso? Seguindo as orientações que selecionamos para você:
 

1. Enxergue o consumidor, não a data de nascimento.
Muitas pessoas acreditam que devem usar fontes muito maiores nos sites e oferecer versões mais simplificadas das páginas quando pensam em atender a terceira idade on-line.

A orientação aqui é: não subestime esse público. Eles são parte de uma geração que valorizava hábitos saudáveis muito mais do que as novas gerações e por isso enxergam e leem muito bem, na maior parte dos casos.

Se você puder investir para melhorar a navegação do seu site, siga os princípios básicos do E-commerce, que se aplicam a qualquer idade: ofereça a chance de fechar uma compra com apenas três cliques. Separe produtos por categoria e crie um sistema de “quem comprou isso também comprou aquilo”. Crie uma área de “lista de desejos”, em que a pessoa pode separar os produtos que planeja comprar no futuro. E – claro – invista em comunicação digital (banners, e-mail marketing e links patrocinados), divulgando suas promoções.

Em resumo: foque em uma comunicação direta e simples. A experiência do usuário no seu E-commerce será melhor, para pessoas de qualquer idade.
 

2. Crie conteúdo específico para esse público
Se jovens nascidos nas décadas de 80 e 90 adoram comprar produtos da infância para relembrar o passado (está aí o fenômeno dos objetos de Super Mario que não nos deixa mentir), imagine quanto não investiriam senhores e senhoras se encontrassem filmes, livros, séries e objetos de época.

Por isso, faça uma seleção especial desses produtos, indicando-os (de preferência) ao fim de matérias que relembram grandes atrizes/atores, séries consagradas e livros de sucesso. Nostalgia vende. E muito.
 

3. Entenda a rotina dessas pessoas.
A última orientação é: o ramo do seu e-commerce não é compatível com esse nicho? Pense em criar um novo negócio, focado nessas pessoas. Como você domina a plataforma e as estratégias de marketing digital será muito mais viável desenvolver um E-commerce focado em atender necessidades específicas desse público.

A Labbo está sempre antenada nas tendências do E-commerce, trazendo a você as novidades desse universo. Para saber mais, entre em contato e descubra como você pode aproveitar essa e muitas outras oportunidades importantes.

#e-commerce para a 3ª idade #e-comnmerce #Estratégias de E-commerce #estratégias de marketing digital #experiência do usuário