Olá, se você acabou de chegar e está começando a leitura agora, a sugestão é que leia antes a primeira parte desse artigo “Como escrever um texto persuasivo? ” que você pode conferir clicando aqui.

Na primeira etapa desse material abordamos diversos pontos importantes para a escrita de um texto persuasivo, como a importância do entendimento do público, as etapas da construção do texto e o peso dos erros de português.

Abordaremos agora a necessidade da reescrita e da edição do seu conteúdo, os dois estilos de texto (racional e emocional) e, por fim, o ponto mais importante do nosso artigo: as técnicas de neuromarketing.

Hemingway dizia: escreva bêbado, edite sóbrio. Metaforicamente, podemos interpretar assim: não seja exigente em relação à qualidade do seu texto no momento em que você está escrevendo. Deixe as idéias fluírem naturalmente, mesmo que por vezes elas não façam sentido e não se conectem. Após esse trabalho você já contará com um texto básico, que servirá como matéria-prima.

Então é o momento da edição. Ou seja: você deve eliminar chavões, criar uma estrutura com começo, meio e fim, fazer com que as frases se conectem e ser objetivo, principalmente em textos para internet. Em resumo: crie o texto a partir das idéias e aprendizados que você guarda na sua cabeça, para depois lapidá-los de uma maneira coerente para seu público.

Agora, quanto aos estilos de texto, existem dois – o racional e o emocional. Cabe a você identificar qual é o ideal para seu público. Usando um exemplo simples: se você cuida de um empreendimento imobiliário e necessita de um texto para vendê-lo, pense em quem irá comprá-lo. A primeira opção é criar um texto racional. Nesse caso, você usará argumentos persuasivos no seu texto, focados em convencer seu consumidor pelo intelecto. Por exemplo: o conteúdo giraria em torno da quantidade de metros quadrados, da possibilidade de mudar paredes de lugar e da valorização do imóvel a curto e longo prazo. Já se você usar a abordagem emocional (que usa argumentos persuasivos focados nos sentimentos), você poderia usar argumentos como: mais privacidade para todos os membros da família, oportunidade de passar bons momentos com amigos nas áreas de lazer e chance de dar a seu filho espaço para que brinque fora de casa, mas com segurança.

Analise, portanto, qual o melhor jeito de conversar com o seu público: pela razão ou pela emoção.

Por último, chegamos às técnicas de neuromarketing, área que estuda como os padrões cognitivos funcionam e como é possível usar esses aprendizados aplicados ao marketing. Separamos três importantes descobertas que podem ser usadas para criar conteúdos e textos mais persuasivos:
 

1. Use os neurônios-espelho.
Sabe quando você vê, em um filme, alguém sentindo dor e você se retorce na cadeira do cinema? Isso acontece devido aos neurônios-espelho, que simulam em nós aquilo que estamos presenciando. É por isso que somos capazes de aprender apenas a partir da observação.

Mas como usar os neurônios-espelho em um texto? Possibilitando ao leitor “experimentar” aquilo que você está apresentando ou vendendo. Por isso, use exemplos e descreva muito bem as situações em que seu produto será usado. Dessa maneira o consumidor irá se identificar com o seu produto, aumentando a possibilidade de compra.
 

2. Dopamina
Você com certeza já experimentou aquela sensação de realização quando compra algo que queria muito. Isso é o cérebro liberando dopamina, substância que causa bem-estar. Foque nisso em seus textos: valorize todas as vantagens e benefícios que seu cliente irá receber ao contratar sua empresa ou comprar seus produtos. Assim, quando a compra acontecer, ele se sentirá bem e associará essa boa sensação a sua marca/empresa.
 

3. Seja simples
As pessoas são capazes de ficar horas tentando resolver um problema de uma prova ou de um concurso. Mas elas não passarão mais de três segundos tentando decifrar a sua mensagem publicitária. Por isso, em seus textos, não seja enigmático; seja direto. Quanto menos barreiras houver entre o seu discurso e o entendimento dele pelo público, mais chance seu conteúdo tem de ser persuasivo.

Essa é apenas a introdução à criação de conteúdo/textos persuasivos. Para saber mais, entre em contato com a Labbo, que domina todas as estratégias de geração de conteúdo, caminho fundamental para o sucesso de blogs e sites na internet.

#argumentos para convencer #conteúdo #criação de conteúdo #Labbo é especialista em geração de conteúdo #melhor jeito de conversar com o seu público #redatores publicitários #sites corporativos #técnicas de neuromarketing #texto persuasivo #textos para blogs